Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2009

Arnaldo Jabor

Imagem
"Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim. Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa: 'Ah, terminei o namoro... ''Nossa,quanto tempo? ''Cinco anos... Mas não deu certo... acabou 'É não deu...' Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou. E o bom da vida, é que você pode ter vários amores. Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam. Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro? E não temos esta coisa completa. Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama. Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel. Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador. Às vezes ela é malhada, mas não é sensível. Tudo nós não temos. Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele. Pele é um bicho traiçoeiro. Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básicoque é uma delícia. E as vezes você tem a…

Tantas coisas cruzam a minha mente.

Tantas coisas cruzam a minha mente e hoje* a mais constante delas foi em como as nossas vidas estão interligadas. Como cada ser é responsável não somente por si mas também pelo outro.
Eu estava indo trabalhar, chovia como todo dia Londrino. O ônibus fez a sua parada. Pouco antes de voltar a correr o motor, um carro veio em certa velocidade e como que se esperasse o ônibus sair, o carro freiou de supetão, nisso um outro veículo não demorou em derrapar na pista molhada e assim veio a colisão. O carro da frente que inicialmente estava errado devido a sua velocidade acima do permitido, se sentiu no direito de brigar e xingar o motorista do carro traseiro e o motorista do ônibus. Devido a esta desagradável situação, duas senhoras conseguiram adentrar a este ônibus, pois o mesmo havia se estendido devido a batida dos automóveis. E automaticamente veio em minha mente, e se não houvesse tido a batida, e se não estivesse chovendo, e se o carro estivesse em uma velocidade menor??
Nisso entendi …

Verdade ou mentira?

Imagem
Quando criança, meu sonho não era uma sapatinho de cristal, mas um salto alto de alta costura.
Quando criança, meu sonho não era uma casa no campo, mas um duplex em Copacabana.
Quando criança, meu sonho não era uma aliança no dedo, mas um contrato assinado muito bem remunerado.

Na idade da flor da pele, já não quero mas um salto alto de alta costura, quero apenas um sapato que me sirva confortavelmente.
Na idade da flor da pele, já não quero mais um duplex em Copacabana, mas um apê na Vila Baeta.
Na idade da flor da pele, já não quero um contrato que seja muito bem remunerado, mas um que me dê a paz que eu mereça de acordo com o meu suor.

Quem sabe na idade da solitude já nem desejarei mais ter sapatos, apenas os pés descalsos me dando a sustentação.
Quem sabe na idade da solitude já nem deseje mais um apê, mas um lugar para descansar o corpo.
Quem sabe na idade da solitude já nem deseje mais o que mereço pelo meu suor, mas doar ainda mais das forças que eu tiver.

De acordo com qualq…
As vezes me faltam mãos, as vezes pés, as vezes me falta o ar.
Muitas vezes são as idéias, em outras as palavras.
Nem sempre me falta, mas me falta o respeito, a consideração e o amor.

Definitivamente: "Os fins justificam os meios."

Talvez ao ler esta frase, sempre vem a mente algo cruel e sem escrúpulos. No entanto se abrirmos um pouco as nossas mentes e neutralizarmos a frase, ou melhor, positivarmos a sentença, iremos traduzí-la para a nossa própria felicidade.

Me perdoem os que não gostam de espiritimo, mas hoje quero falar sobre a minha crença, sobre a minha verdade, e a verdade que busco, sobre o que tenho lido e aprendido. Quero dividir com o meu próximo, quero passar adianta o que sei e buscar o que não sei. Sendo assim, na minha visão espírita, o fim que justifica o meio é a advertência do ser ao deixar de praticar a sua caridade, onde o primeiro beneficiado é ele mesmo, sabendo que este meio me trará ressalvas e paz de espírito. E ainda...
O fim de uma mente tranquila, justifica o meio de apertar o meu coração ao não revidar uma indiferença ou diferença.
O fim de um espírito livre, justifica o meio de não dar vazão aos meus mais baixos sentimentos.
O fim de um ser completo, justifica o meio do exercício con…