quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Mind the gap, mind the head, mind the step...


Always mind it!

The gap because you don't wanna fall,
The head because you don't wanna lose it,
The step because you wanna know where you are going...



* At Covent Garden

sábado, 26 de novembro de 2011

Despedidas!!

E o que se faz familiar hoje, se tornará estranho amanhã novamente.
E o que era familiar ontem, hoje é estranho.

Sair de casa para voltar pra casa.
Ir embora de onde moro para ir morar onde é casa.

Depois de muitas indas e vindas é hora de ir.
Já se passaram mais de seis anos desde a primeira vez que vim para a Inglaterra. Primeiro um curso de férias... volta ao Brasil para trabalhar. Depois de um ano, vim a Londres passar o fim de semana pois tinha ido a Belfast fazer dois cursos pela empresa que trabalhava. E menos de 3 meses depois estava morando na cidade da Rainha. Desde isso são quase 3 anos morando aqui, com intervalos de visitas ao Brasil.
Um trabalho, duas despedidas e muitos amigos que deixo! Minha felicidade é grande em ter me apresentado quem sou!!
Desta vez volto com fé, com alegria e tristeza, com paixão e com tudo o que amei em Londres. Antes o que mais me atraiu aqui é que eu não tinha um passado, apenas o presente e o futuro a ser construído. Hoje tenho um pequeno passado, um presente e não necessariamente um futuro. Afinal, sempre posso voltar! :-)

Segue fotos das despedidas!!!

A primeira aconteceu no Canecão Brazilian Pub. Estávamos em umas 20 pessoas ou mais! Música brasileira e muita diversão...


A despedida começou assim...


Euzinha! Já tinha chorado um pouco...






Girls!!


Segunda despedida no Blues Kitchen Bar. A banda que tocou não era lá muito boa, mas depois o DJ foi melhor e para a galera Mango Room... baby, não precisa de muito para fazerem a festa!

The dress!!


My managers!! Ali and Anna... LOVE and HATE at the same time!! :-)


My flatmates!!


ME again!


Galera Mango Room Restaurant (onde trabalhei durante este tempo)

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Erro ou Escolha?

E quando é que um erro passa a ser escolha?
Quando acontece uma segunda vez?
Mas aprendi que antes do erro tem aquele momento, aquele milésimo de segundo que tudo pára e a voz da sua consciência te sussurra se é certo ou errado o que está prestes a fazer, a escolher por fazer.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

E quem paga a conta??



Mãe e filha conversam...
- Mas minha filha, você não o ama?
- Sim mamãe, mas não estamos nos entendendo.
- Mas meu bem, todos temos as nossas fases difíceis, todo casal passa por isso.
- Mas mamãe, agente já conversou e agente fala em mudar, mas nada...
- Oh minha querida, a vida não nos dá férias.
- Eu sei mamãe, só queria que as coisas fossem diferentes.
- Então as façam diferentes...
- Não é tão simples assim mamãe!! Não é como trocar de roupa!
- Eu sei meu amor, mas se é você quem quer paz é você quem tem que mudar...
-...
- E o que te prende tanto? Afinal, quem paga as tuas contas???
- Eu!


Pagar as contas...
Fato: sem dinheiro não se faz nada, apenas sonha.
Observação: mas que a conta a ser paga vai além do papel impresso pelo Banco Central, isso vai.
Mas ainda sim, quem vai pagar a conta do coração?!

E se tudo no final das contas o que conta é com quem você está, me foge a idéia dos valores.
Dinheiro é o que mais corre nas nossas mãos. É o que mais se ganha e o que mais se gasta. Enquanto sentimentos são bem mais difíceis de serem conquistados, pois não se ganha ninguém. E quando se gasta é que se percebe que se perde algo que nem mesmo te pertencia. E aí a conta é alta... E ao pedir empréstimo aos amigos. Eles irão te oferecer notas promissórias, que irão demorar a serem sacadas, pois indiferente ao valor a ser pago por essa conta, só sendo cada um por si.

Fato: essa conta não se limita apenas aos amantes, mas se estende aos amigos e familiares.
Observação: e mesmo assim ainda teimamos em não tratar bem os nossos mais próximos.

Coração não é banco, e dói quando sacam o dinheiro...

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Fechado ou Aberto??

Só aquele que se abre é que aprende.
A pessoa fechada não absorve, não adiciona, não dividi.
Diz que não sofre.
Não concordo.
A pessoa fechada só tende a perder.
E perdas também geram sofrimento e dor.
Perder momentos de felicidade plena,
Momentos de aprendizado,
De vivência,
Iluminação.

Já tentei me fechar e doeu muito mais do que todas as dores antes sentidas por ter meu coração aberto.
Amigos, família, conhecidos e mesmo desconhecidos vão me mostrando minhas melhores faces, minhas qualidades e meus defeitos.

Só aquele que tem coração aberto que tem condições de se melhorar.
Só aquele que dividi suas dores que conquista a confiança do outro.
Só aquele que reconhece o seu valor que sabe avaliar o próximo.
E só aprendemos o nosso valor quando nos jogamos ao mundo.

E como sou feliz por ter sempre alguém ao meu lado com quem posso contar.
Há muitas pessoas nesse mundo que mais buscam a indiferença.
Mas há ainda mais pessoas nesse mundo que querem fazer a diferença.
Pode levar um pouco de tempo, mas o mundo muda quando as pessoas nele mudam.
E ninguém tem o poder de acelerar o tempo... e por isso que a construção de uma vida se faz ao longo dos anos.
E é nosso dever não perder a fé, manter nossos corações abertos, retribuir o que há de bom e belo. Não desistir jamais!!

Já escrevi, postei, descrevi sobre meus amigos. Já agradeci, enalteci e amei todos aqui. E quero de novo escrever, postar e descrever. Agradecer, enaltecer e amar todos aqui. (indiferente a ordem, o amor é de todos. Afinal, amor verdadeiro não diminui, se expande!)
Dani, Erico, Gabriel, Cláudia, Fran, Fabrizio, Renato(s), Anna(s), Bianca, Gica, Vlad, Rick, Luana e não quero esquecer de ninguém, mas nesse momento de sentimentos, vai lá meu amor.... mas o poste de hoje é para você:
* minha querida Evertane, obrigada!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

O que são problemas? Quem cria problemas?



"... During the train trade, Clara brought her daughter up to date on the state of the family and her father's health, expecting that Blanca would ask the one question she knew she wanted to ask, but Blanca did not mention Pedro Terceiro García, and Clara was not bold enough to do so herself. She believed that by giving problems a name they tended to manifest themselves, and then it was impossible to ignore them; whereas if they remained in the limbo of unspoken words, they could disappear by themselves, with the passage of time..."

The House Of The Spirits, by Isabel Allende

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

domingo, 13 de novembro de 2011

Por essa vida a fora...

* Erico em Roma!


"Ás vezes é preciso excluir pessoas, apagar lembranças, jogar fora o que machuca, abandonar o que nos faz mal, se libertar de coisas que nos prendem, olhar para frente e enxergar a imensidão de caminhos ao nosso redor, espere sempre o melhor, prepare-se para o pior e aceite o que vier, ouse, arrisque, não desista jamais e saiba valorizar quem te ama, esses sim merecem seu respeito. Quanto ao resto, bom, ninguém nunca precisou de restos para ser FELIZ."


By Erico Maia

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Have a little faith in me

Me and Anna at Wagamama, before wine testing at Vinopolis.


I
appreciate when I surprised people positively.
A little pride that almost doens't fit me and congratulated me greatly.
Yesterday was so ...
Anna, thank you for having a little faith in me.


Aprecio quando surpreendo positivamente as pessoas.
Um orgulho que pouco cabe em mim e muito me felicita.
Ontem foi assim...
Anna, obrigada por ter um pouco de em fé em mim.



domingo, 6 de novembro de 2011

Sabe do que eu não gosto?



De me preocupar com coisas pequenas, das pessoas mais preocupadas com a vida alheia do que em fazer algo de útil com seu tempo livre.
Não gosto de me sentir presa.
Não gosto de ser ansiosa.
Não gosto das pessoas que gosto acabarem saindo do meu dia a dia.

Não queria ter que escolher, aqui ou lá.
Pois não gosto da dor da renúncia, mesmo tendo a felicidade da escolha...

sábado, 5 de novembro de 2011

The right thing

"Nothing matters if it is the right thing to do."

But... what is the right thing to do?
How could you say that is the right thing to be done?
Do you feel it? Or do you know it?

And what if it is for the wrong reason to do the right thing?
Would you do it, anyway?

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

LIBERDADE

*

"A conquista da liberdade é algo que faz tanta poeira, que por medo da bagunça, preferimos, normalmente, optar pela arrumação."

Carlos Drummond de Andrade


Os dedos rolam pelo teclado, como se após uma frase dessas pudesse ser adicionado mais algum comentário... que tolice a minha!!


* Foto Itália, by Francine Prado