terça-feira, 17 de abril de 2012

Hippie falando

Estou tão repetitiva que nem eu estou me aguentando... Minnha vontade é de xingar um pouco, blasfemar os acontecimentos, culpar o caso do acaso ou a falta dele que por inúmeras vezes eu ainda não entendo.

Eu não sei porque, justo com você fui me apegar.
Não fazia questão de te conhecer e quando o conheci, lá se foi a minha paz.

Estou cansada, cansada de me sentir sozinha.
Não sei dessa eternidade que leva até você estar comigo, aonde for.
Por vezes que eu sabia que ainda não era a hora, tinha coisas a aprender, a amadurecer, a reconhecer.
Acho que aprendi, só a tua presença que me dirá ao certo se a lição está correta.
A mais dificil foi e ainda é amar a mim mesma.
Talvez seja isso, talvez eu ainda não me ame o suficiente para compartilhar contigo o meu bem, o meu aconchego, o meu caminho. Nada de apenas o seu, mas o nosso.
Quem sabe seja isso, eu ainda não aprendi a me amar mais do que tudo, a me aceitar como sou e alinhar as coisas dessa forma.
Estou cansada de me sentir sozinha.
E aí me peguei como uma hippie falando, desejando apenas paz e amor.
Necessariamente nessa ordem. Primeiro a paz e depois o amor.
Mas se essa paz só chegar junto com o amor, tudo bem!
Afinal, apenas monitor de morto é que vive em medida constante.


Quero você comigo!
Quero você comigo!
Eu quero você comigo!

2 comentários:

Patrícia Lemmon disse...

Sei exatamente como vc se sente, tenho passado os últimos tempos pensando se eu acredito no amor mesmo ou se eu me amo, e em qual desses dois pontos estou errando pra continuar sozinha...

Nâna Pessoa disse...

Ai menina, fala sério, tanta gente com tantos e a gente com ninguém. Tudo bem que também está dificil encontrar pessoas que queiram algo mais sério, pessoas que querem algo da vida. Mas isso cansa né?! rs

bju gde
bom fds