sexta-feira, 29 de junho de 2012

"Quando um não quer, dois não têm."

A cada passo um aprendizado.
A cada momento uma verdade.
A cada ano um reconhecimento.

Fazia um certo tempo que eu não me deparava com este tipo de pessoa na minha frente. E assim dentro desse período ao qual não tive contato com esse tipo de pessoas, por este breve momento havia esquecido em como é cansativo impor o seu ponto de vista, a sua forma de pensar e ver os fatos. E por mais que tenha me incomodado, me doído ou até mesmo deixado a esperança se esvair por um brevíssimo milésimo de segundo nesse interim, meu maior presente foi me reconhecer em uma nova posição, em uma nova atitude, em uma nova escolha, em um novo conceito e em uma nova ação. Provei há mim mesma minha evolução, meu crescimento, minha absorção do aprendizado. Reinei sobre mim mesma!! Hoje não sei dizer se há maior felicidade que essa.

Conto um breve momento do que se passou:
Eu estava em um curso e eis que estávamos desenvolvendo uma atividade em grupo, eu e mais 2 mulheres, no qual uma delas muito imponente me aponta o dedo na minha cara dizendo que eu não sei do que eu estou falando, que eu preciso sofrer para saber do que ela estava falando, em como as pessoas são críticas, como as pessoas te julgam sem te conhecer. rsrs Pois é... e depois ouvi que o dedo na cara não era para mim, mas o jeito dela. O.K. que assim tenha sido, a ideia não é julgá-la, mas ponderar o que se passou comigo.
E assim pensei:

Se essa história tivesse acontecido há 10 anos atrás, eu teria batido de frente e dito que ELA quem não sabe das coisas e muito menos da minha história para falar daquele jeito.

Se esssa história tivesse acontecido há 4/5 anos, eu nada teria respondido e além de ter me calado, eu teria me interiorizado de tal forma negativa a ponto de achar que nada sabia das coisas mesmo e me perguntaria inúmeras vezes: - Quem sou eu??

Mas como essa história aconteceu hoje, eu simplesmente respondi com uma brincadeira, feita de coração, de sinceridade, de discontração. E ainda que a brincadeira não tenha sido aceita da melhor forma, não deixei meu valor se perder. Doeu pelo julgamento errôneo momentâneo, mas passou mais do que rapidamente esse sentimento ao me deparar que dificilmente irei encontrar com AQUELA mulher novamente. Mas indiferente a este fato, pois há muitas pessoas nesse mundo com o mesmo "humor", fiquei feliz ao me encontrar no final do mesmo pensamento, em um ponto de equilíbrio, de satisfação ao qual eu não tenho que provar a ela o meu valor. não tenho que brigar e nem competir por nada. Sou quem sou e finalmente estou aprendendo a me olhar no espelho, a me reconhecer nas ações e atuar de forma diferente em antigos contextos que por tantas vezes sofri. E ali, em um momento particular no meio de tanta gente desconhecida vem a inspiração:

A competição só existe se houver duas pessoas dispostas a competir! Se uma delas souber o seu valor, não haverá nenhuma necessidade moral, mental e emocional para lutar, na tentativa de provar o seu valor.

E entre essas palavras, o sentimento de me ver um pouquinho mais adiante, no encaixe de palavras com ações, de raciocínio com sentimento, foi maduro. Só espero pela sua consistência e solidez.


quarta-feira, 27 de junho de 2012

O que acontece da noite para o dia?

O nascer do sol!
E somente isso, nada além disso.

Sejam coisas do coração ou da mente, tudo leva o tempo necessário para que ocorram.
Fatos emocionais precisam maturar para que se fortaleçam laços.
Ideias racionais precisam aparar arestas para que sejam desenvolvidas suas ações.

E o que podemos fazer enquanto isso??
Nos moldar da melhor forma possível, pois no final das contas nunca ninguém está preparado para o chega.




domingo, 24 de junho de 2012

"Oh, maybe he's no Romeo, But he's my love and one man show..."

"What doesn't kill you makes you stronger"

Mas sabe que cansa de se tornar forte em todos os momentos.
Cansa ter que viver superando desafios.
Cansa ter que ouvir para esperar e ter pacência.
Cansa, simplesmente cansa ter que ser sempre forte.
Ou os outros acharem que você sempre o é.
Quando o que você mais deseja é um abraço aconchegante.
Um olhar que te diz para relaxar que tudo ficará bem.
Um beijo de entrega sem nenhuma preocupação se irão te ligar amanhã.
Um simples tudo bem sem estar tudo bem...
Pois hoje podemos dormir aqui juntos.
E quem disse que Romeo era perfeito? Ele era perfeito para Julieta...


p.s.: o tempo não volta atrás, e pode parecer egoísmo meu, mas por vezes sinto falta quando eu não me importava tanto com as coisas. se ser mais forte é se importar mais, não sei se quero essa força. pois mesmo sendo forte as coisas não deixam de doer.



quinta-feira, 21 de junho de 2012

Do que se faz com o tempo é o aprendizado maior em se saber viver


Distraída por vezes com pensamentos, flashs de ideias aparecem e o que era apenas uma ideia passa a ser uma reflexão: Como é importante fazer o que se gosta, o que se quer e o que te faz bem. Sem excesso, sem loucura, sem desespero. Aprender a viver. Buscar harmonia em nossas ações. Trabalho árduo, mas muuuuuuito gratificante.
Falam em ganhar dinheiro, ficar rico, outras falam em curtir vida e não olhar pra trás.
'Nem tanto ao céu, nem tanto ao mar.' 
Saber viver vai além do ganho do dinheiro, mas na sabedoria em ganhar o dinheiro de forma a qual não se prejudique a ninguém, principalmente você.
Curtir a vida não é deixar de lembrar ótimos momentos por causa de um porre, mas curtir todos os momentos que contam. E entenda e saiba e reconheça: TODOS os momentos contam, pois quando você se dá conta, já passou os seus 18 anos, os 21, 25, de repente chega os 30 e logo logo haverá os ...enta. Esse tempo anda, como sempre andou, não importa se faltou tempo para ligar, não importa se sobrou tempo para brigar, o tempo é regra, caminha indiferente aos dias, as noites e as nossas escolhas. Ele caminha no seu ritmo e na sua constância. Somos nós que corremos tentando alcançar coisas que nos seria fácil executar e aproveitar se fizéssemos do nosso tempo um dos nossos maiores bens.
Ele passa e não volta. Mesmo a gente correndo e ele caminhando, ainda sim por vezes temos a impressão de quem nunca o alcançamos.
O tempo é sábio, é professor, é exemplo, é divino, é misericordioso.
Quem dita como gastamos esse presente somos nós.
Não se ocupe com o passado, pois ele nunca volta.
Não se preocupe demasiadamente com o futuro, pois ele sempre chega.

E correndo os olhos achei esta postagem do Blog Espírita a qual gostaria de dividir uma parte com vocês.
para ver o texto completo click em: http://blog.forumespirita.net/2012/06/20/envelhecer-com-sabedoria/

"...Distraída em viver, ela não havia se dado conta que os anos haviam passado rapidamente.
Marcaram seu corpo, alteraram sua fisionomia.
Seu fôlego já não era mais o mesmo.
Nem seus movimentos que, antes ágeis, agora eram imprecisos e lentos.
Mas enquanto observava a transformação ocorrida, helena percebeu que o brilho de seus olhos permanecia igual.
Reconhecia em seu olhar o mesmo olhar de seu passado.
As vivências transformaram a jovem que ela fora em uma mulher muito mais sábia.
Seu corpo não era mais tão vigoroso, mas sua alma era muito mais forte do que havia sido antes.
O mesmo tempo que lhe trouxera rugas havia lhe oferecido experiência.
Ontem, jovem e bela, impetuosa e impaciente.
Hoje, madura e envelhecida, tolerante e compreensiva.
...As marcas que o tempo fizera em seu corpo eram apenas para sinalizar o passar dos dias e as constantes mudanças da vida.
Vida essa que não se acaba nunca, nem mesmo quando os corpos envelhecidos deixam de funcionar.
...
Aproveite seus minutos, seus dias, sua vida.
Aproveitar, no entanto, não significa exaurir as forças vitais pelos excessos de toda a ordem.
Aproveitar quer dizer, em verdade, fazer bom uso, dar utilidade.
O corpo físico, invólucro perecível de nossas almas imortais, deve ser tratado com o zelo que garanta sua utilização adequada.
Mas sem neuroses ou preocupações descabidas, mesmo quando a juventude for apenas a lembrança de mais uma etapa superada.
Envelhecer de forma sábia é reflexo de se viver bem."

Vontade de escrever...


Sinto falta das palavras, como sinto falta do teu olhar
Sinto falta das expressões, como sinto falta do teu cheiro
Sinto falta de sonhar, como sinto falta da sinceridade
Sinto falta do teu contato, como sinto falta do dia quando está noite e da noite quando é dia

Mas já não sinto mais falta das certezas que me fazem falta
Já não sinto falta de ter alguém para preencher o vazio que te pertence
Já não já sinto falta de procurar o que por dever me pertence,
e esse é você...

sábado, 16 de junho de 2012

..

Só quero dizer o teu nome, na esperança de que o que eu sinto por você vá embora.

Amor???

não, desconhecido.

Esperança??

não, expectativas.

Sinceridade?

sim, foi o que ouvi dos seus lábios, (e isso é tão dicifil hoje em dia!), mas sua pele te entregou e fui fraca no meu próprio desejo, mesmo quando o que eu mais desejava era você.

Me ouve...

terça-feira, 12 de junho de 2012

Decepção vs. Surpresa


Qual foi a minha surpresa em ter me mostrado interessada em você, mas qual foi a minha decepção na forma a qual me aproximei.
Qual foi a supresa em ter recebido o seu número de telefone, mas qual foi a decepção em não receber resposta.
Seja supresa ou decepção, formas de expressão, falam pelo coração.

Hoje não me surpreendi e nem me decepcionei, apenas me questionei: Por que?
hunf!

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Se sentir confortável na própria pele é uma arte!

NA PRÓPRIA PELE

Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável, mesmo convivendo com tantas perguntas que o tempo não respondeu e com a ausência de qualquer garantia de que ele ainda responda. É me sentir confortável, mesmo entendendo que as respostas que tenho mudarão, como tantas já mudaram, e que também mudarei, como eu tanto já mudei.

Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável, mesmo sentindo que cada vez mais eu sei cada vez menos, e não saber, ao contrário do que já acreditei, pode nos fazer vislumbrar uma liberdade incrível, às vezes. Tem saber que é nítida sabedoria, que fortalece, que faz clarear, mas tem saber que é apenas controle disfarçado, artifício do medo, armadilha da dona autossabotagem. 

Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável, mesmo percebendo que a minha vida não tem lá tanta semelhança com o enredo que eu imaginei para ela na maior parte da jornada e que nem por isso é menos preciosa. É me sentir confortável, cabendo sem esforço e com a fluidez que eu souber, na única história que me é disponível, que é feita de capítulos inéditos, e que não está concluída: esta que me foi ofertada e que, da forma que sei e não sei, eu vivo.

Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável, mesmo acessando, vez ou outra, lugares da memória que eu adoraria inacessíveis, tristezas que não cicatrizaram, padrões que eu ainda não soube transformar, embora continue me empenhando para conseguir. É me sentir confortável, mesmo sentindo uma saudade imensa de uma pátria, aparentemente utópica, onde os seus cidadãos tenham ternura, respeito e bondade, suficientes, para ajudar uns aos outros na tecelagem da paz e no desenho do caminho.

Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. Estarmos na nossa própria pele não é fácil e essa percepção é capaz de nos humanizar o bastante para nos aproximarmos com o coração do entendimento do quanto também não seria fácil estarmos na pele de nenhum outro. Por maiores que sejam as diferenças, as singularidades de enredo, as particularidades de cenário, não nos enganemos: toda gente é bem parecida com toda gente. Toda gente é promessa de florescimento, anseia por amor, costuma ter um medo absurdo e se atrapalhar à beça nessa vida sem ensaio

Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável o suficiente para cada vez mais encarar os desconfortos todos fugindo cada vez menos, sabendo que algumas coisas simplesmente são como são, e que eu não tenho nenhuma espécie de controle com relação ao que acontecerá comigo no tempo do parágrafo seguinte, da frase seguinte, da palavra seguinte. É me sentir confortável o suficiente para caminhar pela vida com um olhar que não envelhece, por mais que eu envelheça, e um coração corajoso, carregado de brotos de amor.
 
Ana Jácomo 

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Que tal nos conhecermos???


Sabe, não sei se você notou, mas eu sou uma pessoa muito bonita. Por dentro e por fora!
Não sei se você percebeu, mas eu gosto de me divertir, falar basteira, sair com os amigos.
E não sei se você consegue enchergar que eu sou muuuuito mais do que os seus olhos físicos conseguem alcançar.

Quero te mostrar que eu sou de carne e osso, de gordura e gostosura.
Quero te fazer enxergar todos os meus ângulos.
Quero que você me conheça na minha magnitude.

Pois você sabe, que aqueles que me conhecem como pessoa sabem que aqui há muito a valer a pena!
Mas para vc entrar há uma coisa primordial: Você querer!!


terça-feira, 5 de junho de 2012

Disposto ou deposto?


Porque quando dois corações querem estar juntos, o esforço que se faz nada mais é do que um simples olhar.

Porque quando dois corpos se chamam, a luta não é pela posse, mas pela divisão dos desejos.

Porque quando duas pessoas querem se conhecer, o que era opcional passa a ser prioridade.

E como dizia o Teatro Mágico: 
"Os oposto se distraem, Os dispostos se atraem."

domingo, 3 de junho de 2012

Hoje te ofereço o meu melhor! Mesmo que esse melhor seja nada fazer.

Qualidade é só para quem tem muito a oferecer.
Só conhece o que é bom quem oferece o seu melhor.
Quem fica na mesmice com medo de se machucar nunca vai saber reconhecer o que vale a pena nessa vida.
Ter o peito aberto as ocorrências diárias e as oportunidades é como intimidade na cama, você batalha para saber com quem exatamente vale a pena correr riscos.
Valor de números nem sempre supera qualidade, ou melhor, dificilmente supera.
No entanto, poucos e cada vez menos dão valor a isso. Creio que nem tanto por desejar qualidade, pois você só sabe o que é bom quando prova, gosta ou não e aprende a avaliar. Saber o valor de algo na vida não é apenas reconhecer se gosta ou não gosta mas criar parâmetros que sirvam de alicerces para julgar o lugar de tudo ao nosso redor: pessoas, lugares, atitudes, escolhas, palavras, ideias etc. E colocar as coisas em seu devido lugar precisa de coragem.

Não é a intimidade que me assusta, mas a falta dela e o medo que as pessoas tem em buscar isso.

sábado, 2 de junho de 2012

Psiu...


Don't take me home if you don't wanna be with me.
Don't play with my mind if you don't wanna my heart.
Don't kiss my body if you don't wanna fill my soul.
I know what I want and what I deserve.
I'm not so sure if I will have enough courage to fight for it.