quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Prova de amor e amizade


Chorei as pitangas para um amigo e o mesmo me enviou uma mensagem sobre não carregar peso morto, os medos, os traumas, as derrotas, as magoas... ou seja deixar o passado para trás e viver uma vida nova. Foi uma mensagem suscinta pois o mesmo não pode realmente se expressar por questões pessoais. E tudo bem...
E como sempre me pus a pensar sobre isso, diferente de uma década atrás que não aceitaria sua mensagem, brigaria, ou diferente de algunas anos antes, aceitaria sem pastanejar sua mensagem, de olhos fechados como se o que dissesse era a mais pura verdade; hoje não aceito nem descarto, não brigo e nem me calo, eu ouço, analiso e penso. E aí no meio dos devaneios desta mensagem, me ocorreu que deixar o passado para trás é se deixar para trás. E ninguém consegue se tornar uma nova pessoa da noite para o dia. E nesse raciocínio fui ligando todos os pontos e me encontrando no meio dos nós. Mas não me senti enrolada, pelo contrário, me senti entendida, me senti respeitada. Não tanto pelo amigo, mas por mim mesma. Aprendi que para os outros respeitarem meus limites eu tenho que aprender a respeitar os deles. E isso reflete em tudo, principalmente na capacidade de compreensão. Nunca ninguém irá entender o que se passa com o outro. O problema do outro é óbvio, não há sentimento, nem coração, nem emoção, apenas a razão. E estou aprendendo novas coisas e quero muito colocar em prática o que acredito ter aprendido. Confesso que foi uma lição dificil. Pois gosto de compartilhar, gosto de dialogar, gosto de divagar... não com todos os amigos, cada qual com sua loucura. Mas eis que hoje, mesmo com mais intimidade e mais tempo de convivência, o entendimento parece que ficou menor. Não o amor, apenas a razão entre nós.
Eu sei o quanto de coisas carrego nesta caminhada, mas conforme meu preenchimento emocional eu vou conseguindo largar os medos, os traumas, as derrotas, as magoas... mas no meu tempo, no meu tempo vou soltando e me tornando uma nova pessoa... e deixando para trás parte do que era e do que não faz mais parte de mim...

Nenhum comentário: