sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

O contrato da compaixão

Quem nunca ouviu, "faça aos outros o que gostaria que os outros fizesse a você"?
E quem seguiu a risca este mandamento?
E quem gostou quando o outro fez a mesma coisa a ti? boa e não tão boa

Essa coisa de se viver em sociedade.
Essa coisa de evolução que nos persegue.
Essa coisa de que não sabemos viver em solidão.
Essa coisa de que precisamos uns dos outros.
Todas essas coisas e muito mais, faz com que tenhamos um contrato de compaixão.
Talvez não muito claro, talvez não muito direto, talvez não muito explícito, mas cada um no seu grau e na sua intimidade, têm esse vínculo com a humanidade.
E por hora gosto de sair deste casulo e ver que o mundo tem mudado.
Por hora gosto de abrir meus horizontes e ver que o mundo é muito mais do que sei.
Por hora gosto de crer que todos somos capazes de nos amarmos como verdadeiros irmãos.

Hoje não quero falar do que ocorre quando não honramos esse contrato, nem mesmo do que acontece para que haja paz. Tantas pessoas que passam nesta terra e nos mostram a docilidade da vida, mesmo quando eles tenham passado pela acidez do trato humano.
Exemplos que admiramos mas não seguimos, exemplos que nos inspiram, mas que não seguimos, exemplos que constróem pontes, mas que temos medo em seguir
Um dia quem sabe, um dia...

Nenhum comentário: