Vencer o inimigo

Dizem que para vencer o inimigo é preciso conhecê-lo. Saber sua mente e imaginar seus passos.
Confesso que tenho diversos inimigos. Inimigos que me acompanham desde a infância. Percorrem a minha sombra desde menina. Acompanham meu caminhar desde a adolescência e hoje na vida adulta nem tentam mais se esconder. Eles se mostram de frente, sem vergonha, sem receio, sem medo, sem lamúrias.
Meus inimigos são diversos e andam comigo, ao meu lado, todos os dias. E velam meu sono todas as noites.
Meus inimigos andam juntos, macomunados, quando não é um que tenta me dar uma rasteira, é outro que tenta me esfaquear pela costas, quando não pela frente mesmo.
Meus inimigos também fazem o bem quando me mostram quem são os meus amigos. Pois é na presença deles que os amigos persistem e não me abandonam. Que acreditam em mim e me sustentam pelo caminho.
E aqui bem alto e claro, dou nome a estes inimigos: orgulho, inveja, vaidade, maledicência, ciúmes, revolta, impaciência, intolerância, descrença. Acho que ainda tenho alguns outros, mas só por nomear estes já me dou por satisfeita. É, estes inimigos percorrem meu corpo, minha alma e minha mente. Não posso dar trégua, não posso perder a vigilância. Eles cabem em qualquer canto, em qualquer situação. Assim como os meus amigos: o Tempo, o Amor, a Fé, a Religião, a Ciência, o Conhecimento. Mesmo que fiquem me observando, suas presenças me dão ânimo e força. Afinal, o fim desta batalha ainda demora. E não há muito tempo para o descanso, aliás, como se sabe, para estes inimigos não há nenhum momento de trégua, de calmaria, de sossego, se fôlego, de descanso. E se para estes que tentam fazer de mim uma pessoa menos boa não há nenhuma folga, por que eu daria folga para os amigos que batalham comigo para ser uma pessoa realmente boa?!?!
Para esta guerra não existe o desistir.
E se já conheço o inimigo o suficiente para vencê-lo, ainda não sei. Mas do que sei, já sei o suficiente para querer derrotá-lo. Me desvencilhar dele e dar meus passos com mais tranquilidade. Pelo que já sei, é o bastante para querer me separar destes e de outros. Não sei quando vencerei, mas certamente a vitória é o caminho, quando persistimos no bem.
 

Comentários

Malu Silva disse…
Um FELIZ ANO NOVO. Que tudo seja repleto de grandes realizações, muita PAZ, SAÚDE e SABEDORIA.
Um abraço, E tudo de melhor, menina!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Entender vs. Compreender

Tradição

Morte e Doença - Death and Illness