quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

"O diamante no lodo não deixa de ser diamante."


Assim como o amor, o verdadeiro amor não deixa de ser amor no ódio, na maledicência, na indiferença, no pecado, na falta, na ausência. Um não anula o outro, não pode, não há como. Se este "some", é porque nunca existiu.

Valores demarcados não são valores existentes, apenas passageiros nomeados momentaneamente.

Descubro em mim cada vez mais estes valores, e coloco cada vez mais sentimentos pelo caminho. E consigo dissolver o que preciso, fortalecer o que merece e esquecer o que não vale.

E dá-lhe a vida...

Nenhum comentário: