Confiança

Nem sei por onde começar...

Talvez pela máscara que me cobre e não deixe transparecer toda a insegurança que me veste.
Ou pela loucura que apresenta e que as pessoas veêm como coragem.
Nas escolhas que não foram bem escolhas, mas a opção entre o fazer e o fazer.
E quem sabe na vestimenta do meu signo e que as pessoas compram a ideia e assim o deixam.

Não sei se seriam só essas as minhas verdades que as pessoas dão risada na minha cara, quando falo que sou uma pessoa insegura. E saiba que sou. E que não é fácil adimitir e muito menos ouvir isso de quem você ama e quer ao seu lado. E mesmo essa pessoa sempre buscando te mostrar que é confiável, que você pode contar com ela, a minha insegurança atrapalha.

E vejo essa mesma insegurança em outros. Também escondida, mal vestida, de contrapartida ou a contragosto. Mas ali, de frente. E hoje entendo mais um pouco a vida. O que se segue, o que se busca, o que se deseja, o que se pode, o que se deve, o que se almeja. E todos os nãos que podemos ou não enfrentar.

Enfim... aqui venho ao teu encontro mais uma vez para descrever sobre amor e medo, desventuras e crença.

E parto com mais outras inquietações. E sem querer fazer promessas, pois isso não é comigo, mas apenas gostaria de dizer que me proponho a temer menos, a saber mais e a aprender a confiar em mim mesma.

E lá se vai o sábio que já dizia: - A verdadeira superação está em ultrapassar seus próprios limites.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entender vs. Compreender

Morte e Doença - Death and Illness

Pay it forward