domingo, 2 de novembro de 2014

Como ser verdadeiro se não era o certo?

Depois de um fim de semana passado peculiar me coloquei na situação em sentir saudades.
E lá fui eu nesta montanha russa. Com sentimentos a flor da pele, com memórias que vieram a tona.
E quando quase dava por vencida a vontade, encontro uma troca de mensagens, pedido de desculpas de outrem. Relendo vejo coisas que não ficaram esclarecidas. O pedido não era esperado, mesmo que fosse desejado. E aí a caixa de Pandora se abriu... e como chorei.

Chorei a tua falta,
Chorei pela história que tivemos que foram várias.
Chorei o por que não entendo da tua certeza com ela quando tive a certeza contigo.
Chorei por estar casado, por estar feliz por ti e triste por mim.
Chorei porque senti novamente todo o amor que sinto por você e que sempre sentirei.
Chorei porque sei que não fui apenas mais uma contigo.
Chorei porque sei que me queres bem.
E chorei.

E não satisfeita te procurei da forma que me cabe no momento - Elas por mim - e ali descreves tanto. E uma das tuas frases em que diz o que podes falar apenas de ti e não das mulheres que amou, mas que o amor era verdadeiro... embora não fosse o certo.
E como sempre me pus a pensar, como sempre fizemos um com o outro, mesmo na distância.
E me ocorreu a pergunta, como ser verdadeiro se não era o certo? Talvez haja mais verdades do que certezas. Sei que a verdade não precisa de defesa, pois o é e o permanece para todo o sempre.
E podes me perguntar se não amei novamente, outras pessoas com a qual me relacionei... e te digo, talvez tenha amado o momento e não as pessoas, pois as vejo hoje e não sinto nada, as vezes um arrependimento, uma inquietação dos erros, as vezes apenas um prazer em ter estado junto e dividido as coisas boas. Diferente do que sempre senti por ti em todos os momentos. Logo, minha certeza do que seria o certo foi apenas contigo e por isso não compreendo o que falas. Mas quem sabe algum dia eu saiba, quem sabe?!
Apenas desejo do fundo da minha alma, que isso não custe toda esta vida. Pois meu maior medo é não ter a quem dividir minha prova de vida nesta encarnação na falta do que é certo para mim.

Namastê.

p.s.: hoje estou muito triste.

Nenhum comentário: