Então...


Engraçado em como lutamos tanto durante nossa adolescência e vida jovem adulta em não ser como os nossos pais; e ao mesmo tempo, neste mesmo tempo levamos a vida muitas vezes tão as pressas que não percebemos o quanto acabamos fazendo o mesmo que os nossos pais. Seja buscando um companheiro ou querendo uma vida profissional melhor. São raros os que conseguem agir diferente, em um objetivo diferente ou o mesmo desejo: de ser feliz, de ter saúde, de não se magoar. E de novo digo engraçado em como que aqueles que conseguem fazer diferente, sofrem por serem os poucos que conseguiram na demanda abrir um novo caminho. E estes acabam sendo dominados a ovelha negra, a pessoa que não deu muito bem certo, ou que não sabe das coisas, ou aquela que é a mais difícil de se conviver. E sabe de uma coisa, tanto eu, como você, como tantos outras pessoas, estamos aqui talvez, com o mesmo intuito. Mas com certeza todos estamos aqui cheios de sentimentos, medos, inseguranças e cada um lida da forma que consegue. Mas nem todos conseguem respeitar a si e ao outro, infelizmente...

p.s.: dedico este post a uma amiga que faz tempo que sofre das mesmas coisas que eu, mesmo com crenças diferentes, mas com os mesmos desejos e vontades, sofremos das mesmas coisas e por isso nos identificamos tanto. e neste ínterim, nos respeitamos e nos admiramos. Paula, minha querida, este post é pra ti. beijo grande.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entender vs. Compreender

Tradição

Morte e Doença - Death and Illness