O verbo

Aquele que te encontra pelo meio da caminho.
Aquele que te traz certeza e segura a tua mão.
Aquele que no decorrer do tempo te firma na seara do teu ser.
Aquele que não precisa de defesa.

Poucos o conhecem.
Poucos fazem dele a sua rocha.
Poucos o vêem como amigo.
Poucos o tratam com respeito.

O verbo, que te conduz.
O verbo, que te limita.
O verbo que te liberta.
O verbo que constrói.

Outro dia vi uma frase pelo aplicativo Instagram (bestsayings) que diz que viu o ódio causar muitas coisas e assim ser o responsável por elas. Mas que nunca o viu fazer uma: solucionar/resolver. E aqui faço uma extensão dos nossos atos, pensamentos, desejos, sonhos que envolvem este sentimento. Pois ele existe na alma dos seres humanos ignorantes, que mal sabem que ao desejar o mal, ao permitir este sentimento em suas vidas, quem está absorvendo o veneno, são eles mesmos. E o verbo que faz parte de nosso dia a dia, é muito presente na disseminação de sentimentos. Logo, aquele que o faz prudentemente, é um rei. Pois difícil o é domar todo santo dia nossos pensamentos e ações. E o verbo está presente em praticamente 100% neles. Não é uma tarefa fácil. Mas também ninguém disse que é impossível. ;-)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entender vs. Compreender

Morte e Doença - Death and Illness

Pay it forward