Do que a vida é feita!

E ali do meu lado, meu pai estava... havíamos nos visto no domingo, meio na correria, no meio de outras pessoas. Era como se não o via há semanas, talvez meses. Pode ter sido a correria das semanas ou simplesmente era porque meu coração estava sendo inundado por outro amor. E ali do meu lado, olhando para ele, não pude deixar de sentir felicidade primeiro por mim para o que estava por vir. E depois uma culpa no peito em não ter vindo antes, ter vindo apenas com o desejo de vê-lo, de lembrar a ele o amor que ele me têm, o amor que tenho por ele. Ali, reconhecendo seus cabelos brancos, seus anos sofridos que ainda carrega nos ombros, mesmo já ter vencido tanto na vida. Ali, ao meu lado estava quem me ensinou o que posso ser, o que quero ser - seja por erro ou acerto. Mas ali pertinho de mim, mesmo diante de uma das nossas maiores felicidades, me doeu o peito ao pensar que talvez ainda tenhamos apenas uns 20 ou 30 anos pela frente juntos. Ali, bem pertinho de mim, alguém que me deu muito mais do que desejei e sonhei em ter materialmente falando. E mesmo com sua barba e seus cabelos brancos, por vezes o vejo como um menino... uma criança ansiosa pela. Vejo alguém desejo de mais felicidade e realização. Um corpo cansado, mas uma alma ainda destemida. Um corpo judiado pelo tempo, mas uma mente ainda no comando.
Que felicidade em ainda ter o meu pai aqui comigo... dividir um grande momento das nossas vidas!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entender vs. Compreender

Tradição

Morte e Doença - Death and Illness