segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

"... Eugênio tinha pena do pai e se odiava a si mesmo porque não era com esse sentimentos de simples piedade que ele podia pagar por toda aquela vida de dedicação e silencioso amor à sua pessoa. Por que não perdia o maldito espírito de crítica que o fazia sentir com tão irritante agudeza o que o pai tinha de desagradável e inferior? ... No entanto coisas infinitamente mais fáceis ficavam além das suas forças. Ele queria simplesmente aceitar a sua gente, mas aceitá-la com naturalidade, sem forçar a própria natureza. Através da aceitação talvez pudesse amá-la um dia. Ângelo bem merecia esse amor."

Érico Veríssimo - Olhai os lírios do campo

Nenhum comentário: